Loading

Notícia

Pitangueira é referência em arroz sustentável

Com a lavoura 100% certificada, os produtores comemoram e reivindicam apoio para a atividade.

A Pitangueira é um exemplo de sucesso e um modelo de trabalho dentro do setor orizícola. Os produtores não esmorecem diante de dificuldades e conseguem mostrar resultados positivos em meio a adversidades climáticas, quebra de safra, descompassos da balança comercial e outras variáveis de mercado e legislação que não ajudam na estabilidade da cadeia do cereal.

Esse ano as 6 áreas de cultivo do Grupo Pitangueira, entre elas as granjas Pessegueiro, 3 de Outubro, Fundo Grande, Espinilho, Santa Zélia e Chalé, estão 100% certificadas para sustentabilidade e boas práticas no cultivo. Com isso o Governo do Rio Grande do Sul, pelo Instituto Riograndense do Arroz (IRGA) atesta que toda a safra do Arroz Pitangueira foi produzida e colhida integralmente dentro das normas do Manual de Boas Práticas do órgão estadual. O Selo Ambiental foi entregue na Expointer, maior evento Agro da região Sul. “Nós recebemos esse reconhecimento com muita alegria. Gostamos da natureza e nosso lema é ‘respeito ao homem e ao solo’. Monitoramos o sistema de irrigação em toda a extensão, por exemplo. Os testes comprovam que a água sai da lavoura mais limpa e mais pura do que quando entrou”, conta o fundador do Grupo Pitangueira, Pedro Monteiro Lopes.

O Grupo Pitangueira colhe em média 50 mil toneladas de arroz por ano em 20 mil hectares e é um dos mais representativos da Fronteira Oeste do Rio Grande do Sul, uma das mais fortes produtoras do Estado. Atender à premissas de sustentabilidade e segurança alimentar é uma das metas do empreendimento. “O grupo trabalha com respeito a natureza e o reconhecimento nos mostra que estamos no caminho certo. Por isso lutamos para sempre melhorar o nosso setor, para ter uma remuneração justa e atenção por parte do governo nas questões do Mercosul para que pelo menos não atrapalhem nossa atividade”, diz a diretora do Arroz Pitangueira, Clarissa Rohde Lopes Peixoto.

No evento de entrega da certificação do IRGA os produtores convidados participaram de palestras e de uma mesa de debates sobre a evolução tecnológica e as políticas de governo voltadas ao setor. Para o representante do Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento o recado foi sobre a necessidade de incluir a atividade orizícola nos recursos contemplados no Programa ABC, da Agricultura de Baixo Carbono. “Esta será uma das nossas pautas com a Ministra Tereza Cristina”, afirmou Evilson Nunes Ramos, coordenador geral do MAPA.

Sobre – O Grupo Pitangueira é referência na agricultura brasileira pelo cultivo em áreas irrigadas e o Arroz Pitangueira é um dos líderes na produção gaúcha com uma das principais unidades de beneficiamento e comercialização do Rio Grande do Sul. Igualmente referência é a seleção de bovinos da raça Braford do Grupo Pitangueira, formado a partir de uma sólida seleção da raça Hereford com a de Nelore Mocho. O plantel considerado a marca do Braford brasileiro, tem uma história que se confunde com a trajetória desses animais no país. A Pitangueira foi pioneira na comercialização da genética Braford no país e está presente em 70% do território nacional. Seu fundador, o criador Pedro Monteiro Lopes é também um dos idealizadores da Conexão Delta G, que é o mais antigo programa de melhoramento genético do país e com o maior banco de dados. O rebanho também é aprovado pelo Ministério da Agricultura com o CEIP – Certificado Especial de Identificação e Produção e se destaca pela rigorosa seleção sempre voltada para a produção de carne de qualidade a partir da criação a pasto. Pitangueira é o maior vendedor de touros Braford e o segundo maior vendedor de reprodutores taurinos do país e realiza seu leilão tradicional sempre na primeira semana do mês de outubro. A diretora do Arroz Pitangueira Clarissa Rohde Lopes Peixoto é membro da Câmara Setorial da Cadeia Produtiva do Arroz, Conselheira da Associação Brasileira dos Criadores de Zebu (ABCZ) e uma atuante defensora das atividades que empregam milhares de pessoas e garantem alimento a toda a população brasileira e mundial.

 

 

 

 

17/09/2019